Um tsunami é caracterizado por ondas gigantes, responsáveis por grandes tragédias humanitárias. Portanto, apenas para se ter uma ideia, esse tipo de desastre ambiental já deixou mais de 200 mil mortos na Indonésia. E esse tipo de fenômeno natural pode ter uma série de origens e desdobramentos.

Acontece que água não é a única forma de se haver um tsunami. Pelo menos, não é sua forma líquida. De fato, tsunamis de gelo são um termo pouco conhecido, mas que também pode causar grandes problemas. Um fenômeno tão raro de ser visto foi filmado na cidade de Dudinka, na Rússia. E o que já era de se esperar aconteceu, ele atraiu olhares de todo o mundo para a cidade.

Tsunami

A palavra é formada pela junção das palavras japonesas tsu (“porto) e nami (“onda”). Esses eventos podem se originar de abalos sísmicos, vulcanismo e até do impacto de meteoritos no oceano. Assim, essas ondas são capazes de viajar, por muitos quilômetros, em alto-mar até encontrar a costa.

Em alto-mar, os tsunamis ainda não são ondas gigantes. Muito pelo contrário, elas raramente passam de um metro de altura. Isso por conta da profundidade do oceano. Entretanto, ao se aproximarem da costa, ganham tamanho e velocidade. Essas ondas podem atingir até 160 km de altura e uma velocidade de até 800 km/h. Não é pouca coisa não, e já dá pra entender melhor o porquê desse fenômeno fazer tanto estrago.

Tsunamis de gelo

Também conhecidos como “ondas de gelo” ou “ivu”, entre outros nomes, esses eventos são raros. E estima-se que a primeira vez que tenha sido visto foi no ano de 1822. Hoje, sabemos que o ivus podem ocorrer em três condições.

O evento é mais comum na estação da primavera. Período esse que o gelo, que cobre grandes quantidades de água, começa a derreter, mas ainda não se derreteu por completo. Bem como quando ventos fortes sopram a área, na ocasião em que eles podem empurrar o gelo em direção à orla. Além disso, a terceira condição diz respeito a uma linha costeira, levemente inclinada. Isso porque quanto mais suave a onda, menor a resistência do gelo que vai se acumulando e empurrando.

“Com o acúmulo de gelo e o poder que ele carrega, ele possui um potencial para danificar qualquer coisa em seu caminho”. Como disse o meteorologista, Matt Grinter, ao site The Weather Network, “as primeiras lajes ou lençóis se movem na praia, criando uma espécie de engarrafamento, com a própria acumulação de gelo, por cima e por trás”. E surpreendentemente, esses ventos podem atingir uma velocidade de 74 milhas por hora, o que, para nós, dá cerca de 120 km/h.

Tsunami de gelo na Rússia

Um evento, que já havia em outros país, agora também foi registrado na Rússia. Essa cena surreal, e ao mesmo tempo incrível, aconteceu no dia 4 de junho de 2019, na cidade de Dudinka, na divisão da Krai de Krasnoyarsk.

O vídeo abaixo mostra o exato momento em que um tsunami de gelo se colide na costa. Esse tsunami do vídeo foi formado no leito do Rio Ienissei, um dos principais da Ásia.

Mas, e então? O que achou da matéria? Deixe sua opinião nos comentários.

Essa matéria Veja pela primeira vez na sua vida como é um tsunami de gelo foi criada pelo site Fatos Desconhecidos.


E aí tem algo escrito errado? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de matéria para O DesaForado? Envie para nós clicando no botão abaixo e não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Enviar Dica


Fonte: https://fatosdesconhecidos.ig.com.br/veja-pela-primeira-vez-na-sua-vida-como-e-um-tsunami-de-gelo/ 

Deixe uma resposta