A Nasa detectou no ano passado, um objeto que poderia ser um cometa ou um asteroide, vindo em direção a Terra. A agência espacial disse que o objeto misterioso passará com segurança da Terra a uma distância de quase 51 milhões de quilômetros no dia 25 de fevereiro.

Mas um auto-proclamado astrônomo chegou a uma teoria alternativa, sugerindo que o asteroide vai bater na Terra em 16 de fevereiro e desencadear um mega-tsunami, de acordo com relatórios. O objeto estranho, nomeado 2016 WF9, foi descoberto no ano passado.

Ao longo de 4,9 anos terrestres, ele viajou para dentro do sistema solar, passando por baixo do cinturão de asteroides principal e da órbita de Marte até alcançar a órbita da Terra. O objeto, que é uma linha desfocada entre um asteroide e um cometa, foi descoberto pela missão NEOWISE da Nasa. Veja o vídeo:

O auto-proclamado astrônomo russo Dr. Dyomin Damir Zakharovich disse que o WF9 está vindo direto para o nosso planeta: “O objeto que eles chamam de WF9 deixou o sistema Nibiru em outubro, quando Nibiru começou a girar no sentido anti-horário ao redor do sol. Desde então, a Nasa sabe que atingirá a Terra. Mas só agora estão contando para as pessoas.”

Se o asteroide atingir a Terra, ele diz, poderia destruir cidades ou causar um tsunami gigantesco e global. A Nasa não acha que o objeto atingirá a Terra, mas está dizendo que passará a cerca de 51 milhões de quilômetros do planeta.

“A trajetória de 2016 WF9 é bem compreendida, e o objeto não é uma ameaça à Terra para o futuro previsível “, diz a Nasa. O que os cientistas sabem é que 2016 WF9 é relativamente grande: cerca de 0,5 a 1 km de diâmetro.

Mas, segundo relatos, o Dr. Zakharovich disse que seus “dados” revelam um fundo diferente, ele afirma que o cometa ou asteroide se originou do planeta ficcional Nibiru.


E aí tem algo escrito errado? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de matéria para O DesaForado? Envie para nós clicando no botão abaixo e não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Enviar Dica


Fonte: Momento Curioso

Deixe uma resposta