Pelo nome “Paralisia do sono”, muitos que já passou pela situação com certeza sabe do que se trata este assunto. Conceito geral: A paralisia do sono é uma condição caracterizada por uma paralisia temporária do corpo imediatamente após o despertar ou, com menos frequência, imediatamente antes de adormecer. É uma situação comum e que é responsável por causar muito espanto e vários mitos.

  • Não tem cura, mas o tratamento pode ajudar
  • Crônico: pode durar anos ou a vida inteira
  • Geralmente diagnosticável pela própria pessoa
  • Não requer exames laboratoriais ou de imagem

Paralisia do sono

A paralisia do sono ocorre geralmente em pessoas com narcolepsia ou apneia do sono, mas pode afetar qualquer pessoa.

Sintomas

Imobilidade: A pessoa não consegue mover nenhuma parte do corpo, nem falar, apesar de exercer, por vezes, controle mínimo sobre certas partes do corpo (como boca, olhos e mãos) e sobre a respiração. (Esta paralisia é a mesma que acontece quando uma pessoa sonha. O cérebro paralisa os músculos para prevenir possíveis lesões, já que algumas partes do corpo podem se mover durante o sonho. Se uma pessoa acorda repentinamente, o cérebro pode pensar que ela ainda está dormindo, e manter a paralisia.)

Percepções: São alucinações experienciadas pela pessoa paralisada, que, por assimilarem-se aos sonhos, acabam sendo confundidas com eles. Como o a consciência durante esses eventos não é plena, não é possível determinar exatamente o que é real e o que não é. Algumas pessoas relatam visões e sons estranhos, outras a sensação peso no peito, como se alguém ou algum objeto pesado estivesse pressionando-o. Há também aqueles que relatam terem saído do corpo, ou até “flutuado”. Outras alucinações comuns são um odor desagradável, gritos de mulheres ou uma intensa sensação de sufoco.

Possíveis Causas

A paralisia do sono acontece durante o período de sono REM, o que previne assim movimentos corporais. Baixos índices de melatonina e triptofano podem influenciar no aparecimento desse estado.

Vários estudos concluíram que a maioria das pessoas experimentará a paralisia do sono pelo menos uma ou duas vezes em suas vidas.

Muitas pessoas que frequentemente passam pela paralisia do sono também sofrem de narcolepsia. Alguns estudos sugerem que existem vários fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de paralisia do sono e de alucinação. Eles incluem:[2]

  • indução consciente da paralisia (que também é uma técnica comum para entrar em um estado de sonho lúcido ou projeção da consciência),
  • agenda de sono irregular (cochilos e/ou privação do sono),
  • stress elevado,
  • mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém
  • um sonho lúcido que imediatamente precede o episódio
  • sono induzido através de medicamentos como anti-histaminas e
  • nível elevado de cansaço

Tratamento

A maioria das pessoas não precisa de tratamento para a paralisia do sono, sendo o suficiente apenas a mudança e eliminação de alguns hábitos simples, que se relacionam com o desenvolvimento do problema. A medida mais importante é melhorar a qualidade do sono, dormido por, no mínimo, 6 horas por noite e tratamento problemas como a ansiedade e insônia, que atrapalham o descanso noturno. Em alguns casos o uso de medicação, como os antidepressivos e estimulantes do sono, podem ajudar a tratar outras doenças de base e prevenir o problema, mas devem ser indicadas por médico especialista. Fonte.

Você já passou por uma situação dessas ? Comente.

Fonte: https://curiosidadeslegais.org/

Deixe uma resposta