O que fazer quando encontrar um cartão de memória? Eu, particularmente, testaria. Agora, o que você faria se encontrasse um cartão de memória em que estivesse escrito: “Homicide at midtown Marriot” (Homicídio no Marriot do centro da cidade, em tradução livre)? Nesse caso, o melhor seria entregar o objeto para a polícia, não é verdade?

Pois foi, exatamente isso, que uma cidadã fez. Em 30 de setembro, uma mulher disse à polícia que tinha encontrado um cartão de memória, em uma rua em Anchorage, no Alaska (EUA), próximo de Fairview. De acordo com a rede local KTUU, o cartão de memória microSD continha vídeos e fotos de um assassinato brutal.

Em suma, o cartão foi admitido com prova, em um processo criminal nos Estados Unidos. O suspeito de cometer o crime foi preso logo após a apresentação da prova. Ainda de acordo com informações da rede local KTUU, o cartão continha 12 vídeos e 39 fotos, que mostravam a progressão do assassinato.

A Associated Press informou que os vídeos mostram a vítima sendo enforcada e um homem dizendo “apenas…morra”. Já as fotos, mostram o corpo da vítima, em um carrinho de bagagem de hotel.

Informações adicionais

A polícia foi alertada de que havia restos mortais de uma pessoa ,na rodovia Seward, no início do mês de outro. Analogamente, as autoridades identificaram que a vítima era a mulher que estava presente nas filmagens e fotos do cartão de memória.

De acordo com o porta-voz da polícia de Anchorage, MJ Thim, em entrevista à rede KTUU, graças ao objeto, os detetives conseguiram identificar o suspeito. Brian Steven Smith, o responsável por ter cometido o ato, já estava sendo investigado pela polícia por outros crimes.

De acordo com o New York Times, o crime ocorreu no TownePlace Suites by Marriott Anchorage Midtown, um hotel localizado em Anchorage, no Alasca. Após entrar em contato com a rede de hotéis, a polícia confirmou que Smith esteve lá, entre os dias 2 e 4 de setembro.

Além disso, a polícia confirmou também que o carpete do quarto corresponde ao mesmo presente nas gravações no microSD. De acordo com a rede local KTUU, após obter mandado, a polícia realizou uma busca no celular do suspeito.

Por meio da busca, foi possível confirmar que o suspeito estava próximo ao local, onde foram descobertos os restos mortais da vítima. Em suma, o suspeito foi detido no Aeroporto Internacional Ted Stevens. O suspeito tentava retornar à Anchorage. Brian Steven Smith foi indiciado por assassinato.

Detalhes

De acordo com a polícia, a cidadã, que encontrou o cartão de memória, telefonou para a APD Dispatch e alegou que, nele, havia um vídeo que retratava um homicídio. Os policiais, em seguida, se encontraram com a interlocutora. De acordo com ela, o cartão SD estava na rua, no bairro de Fairview.

Até o momento, não se sabe se Brian Steven Smith o havia perdido, ou se tentava se desfazer da prova do crime. De acordo com sua página no Facebook, Smith é casado. A esposa de Smith é “ex-diretora administrativa do Serviço de Imigração e Naturalização” dos Estados Unidos. Em suma, a sede do órgão está localizada em Anchorage.

Já Smith, é “autônomo”. Em um post, Smith indicou que já havia servido ao Exército. Ambos se conheceram em 2013, e se casaram em 2014.

Essa matéria Cartão SD abandonado escrito ”homicídio” revelou crime real foi criada pelo site Fatos Desconhecidos.


E aí tem algo escrito errado? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de matéria para O DesaForado? Envie para nós clicando no botão abaixo e não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Enviar Dica


Fonte: https://fatosdesconhecidos.ig.com.br/cartao-sd-abandonado-escrito-homicidio-revelou-crime-real/ 

Deixe uma resposta