A palavra “psicopata” geralmente evoca imagens de vilões de filmes, como o Coringa, John Doe, e Anton Chigurh. É claro que, Hollywood nem sempre é precisa em sua interpretação de psicopatas, mas há um fato sempre certo – psicopatas são assustadores. Eles não têm empatia, o que significa que eles não sentem culpa, e eles são extremamente impulsivos. Enquanto eles geralmente não são tão inteligentes como Hannibal Lecter, são bastante astutos, manipuladores e encantadores. Eles só compreendem 1% da população em geral, mas continuam a fascinar, horrorizar e inspirar pesquisas, levando os cientistas a descobrir uma série de fatos novos loucos. Por exemplo:

10 – Psicopatas não reconhecem o medo

medo susto psicopatas

A maioria de nós compreende os sinais de medo no rosto de uma pessoa – olhos arregalados, sobrancelhas atirar para cima, e a boca se abre para respirar ou gritar. Uma pessoa comum veria tal rosto e pensaria “Esta pessoa está com medo”, mas um psicopata não acho nada disso, porque ele não consegue entender o medo. Não é que ele opte por não – é que ele realmente não pode.

Isso é o que a pesquisadora da Universidade de Georgetown, Abigail Marsh, confirmou quando testou 36 crianças com idades entre 7-10 anos de idade para as suas reações a expressões faciais. As crianças foram colocadas em um scanner de ressonância magnética e foram apresentadas a imagens de vários rostos. Alguns eram neutros, outros estavam com raiva, e alguns apavorados. A maioria das crianças não teve nenhum problema de diferenciação entre as faces neutras e assustados. No entanto, as crianças que classificaram alto para tendências psicopatas simplesmente não conseguiam entender o que essas expressões de medo significavam.

Essa discrepância demonstra um mau funcionamento da amígdala, a parte do cérebro que controla a resposta de medo. A camada exterior de uma amígdala psicopata é muito mais fina do que o normal e bastante menor do que a de um cérebro saudável. Graças a essa redução no volume, a área do cérebro é menos ativa do que deveria ser, razão pela qual os psicopatas são incapazes de interpretar expressões de medo.

Estranhamente, este fenômeno não parece aplicar-se a outras emoções. Entendem a maioria dos outros sentimentos além do medo (e, ocasionalmente, tristeza). Eles também têm dificuldade para experimentar e aparentar medo. Uma vez que eles não têm noção de como é ter medo, eles não sabem como responder ao horror em seres humanos normais. Como uma senhora assassina disse quando foi testada pelo colega de Marsh, “Eu não sei como essa expressão é chamada, mas eu sei que é como as pessoas olham bem antes de eu esfaqueá-las.”

9 – Precisam de Dopamina

remédio dopamina

Quando o infame serial killer Ted Bundy foi questionado por que ele fez essas coisas horríveis, ele admitiu “Eu só gostava de matar, eu queria matar.” O que leva pessoas como Bundy a matar? E por que psicopatas gostam tanto de manipular os outros? Tudo tem a ver com a dopamina, o neurotransmissor que ativa os centros de recompensa em nossos cérebros. É a mesma razão pela qual se apaixona, toma medicamentos, ou come chocolate, só que em uma escala muito maior. Psicopatas são viciados em dopamina.

De acordo com Josué Buckholtz da Universidade de Vanderbilt, em Nashville, o cérebro de um psicopata não só produz mais dopamina, ele realmente “supervaloriza” o neurotransmissor. Buckholtz acredita que este desejo de dopamina é a razão pela qual psicopatas estão obcecados com a obtenção de seu próprio caminho, mesmo à custa de outros.

Buckholtz estudou 30 pessoas com traços psicopáticos, dando-lhes as anfetaminas que trancam neurônios produtores de dopamina. Estas drogas foram radioativamente marcadas para os cientistas poderem controlar o quanto de dopamina foi produzido em resposta às anfetaminas. Eles descobriram que as pessoas que mostraram alta impulsividade antisocial – o desejo e a vontade de controlar os outros – geraram muito mais dopamina que os outros. Para verificar suas descobertas, Buckholtz instruiu 24 voluntários para jogar um jogo de adivinhação. Se eles respondessem corretamente, seriam recompensados com alguns dólares. O indivíduo que marcou a maior pontuação em impulsividade antisocial produziu mais dopamina quando ganhou de seus colegas competidores.

8 – Podem ter um interruptor de empatia

interruptor psicopatas

É bem conhecido que os psicopatas são incapazes de se colocar no lugar de outras pessoas. Eles vêem outros seres humanos como peças de xadrez, os peões para a sua própria diversão. A razão pela qual isso acontece é motivo de debate. Enquanto alguns cientistas dizem que os psicopatas estão apenas ligados dessa forma, os neurocientistas da Universidade de Groningen, na Holanda discordam.

Em 2012, estes cientistas realizaram um teste com criminosos psicopatas usando tecnologia de ressonância magnética e alguns filmes caseiros bizarros. Nos clipes que os criminosos assistiram de dentro do scanner de ressonância magnética, uma mão sem corpo carinhosamente acariciava outra, rejeitava-a, ou batia nela com uma régua. Como os pesquisadores esperavam, os psicopatas não se impressionaram.

No entanto, as coisas tomaram um rumo interessante quando os pesquisadores pediram aos criminosos empatia com as pessoas na tela. Desta vez, quando a vítima sofreu uma surra, os psicopatas realmente respondiam. Eles estavam sentindo dor de outra pessoa. Os pesquisadores concluíram que psicopatas têm um interruptor “de vez em quando” em seus cérebros. Embora seja geralmente definido como “off”, pode ser invertido quando necessário. É por isso que às vezes aparecem psicopatas acolhedores e charmosos. Os cientistas esperam que isso significar que criminosos psicopatas podem ser reabilitados. Se eles pudessem ser ensinados a deixar o interruptor ligado, eles poderiam superar seu transtorno. Por outro lado, se eles realmente estão simplesmente optando por não simpatizar, são ainda mais assustadores do que imaginávamos.

7 – Recebem sentenças mais duras

grade cadeia sentenças

Curioso se um diagnóstico de psicopatia ajuda ou prejudica os réus, os pesquisadores da Universidade de Utah, apresentaram um caso ficcional a um grupo de 181 juízes estaduais. Eles haviam criado um personagem chamado Jonathan Donahue, que foi baseado em um criminoso na vida real. Os juízes foram informados do roubo violento de Donahue a um restaurante de fast food. Ele mostrou zero remorso por seu crime, os pesquisadores disseram que até mesmo se vangloriava do feito enquanto fugia. Ele havia sido condenado por lesão corporal grave, por que os juízes foram convidados a condená-lo. A cada juiz foi dito que Donahue era um psicopata, mas apenas para metade foi dada uma explicação biológica para a sua desordem.

Antes de anunciaram suas decisões, os juízes foram questionados sobre como eles normalmente condenam um criminoso por lesão corporal grave. A maioria disse que cerca de nove anos. No entanto, eles eram mais duros sobre o bandido ficcional. Os juízes que receberam a informação de que Donahue era um psicopata sentenciaram o bandido a uma média de 14 anos atrás das grades. Dar aos juízes uma explicação científica para a desordem não ajudou muito Donahue – que foi condenado a uma média de apenas um ano a menos por juízes que receberam a informação.

Interessantemente, não importa se eles ouviram a explicação da defesa de ponto de vista (“Donahue não é responsável por suas ações”) ou a acusação de (“Donahue é uma ameaça para a sociedade e vai reincidir”). Só importava que eles aprenderam como psicopatias afetam o cérebro. Talvez eles sentiram simpatia por um cara que estava preso em uma situação um pouco fora de seu controle, mas 13 anos ainda é um pouco mais longo do que nove.

6 – Empresas estão cheias de psicopatas

empresas psicopatas homem

Em 2013, o pesquisador de Oxford, Kevin Dutton, compilou uma lista de profissões que atraem a maioria dos psicopatas. Ela provavelmente não virá como uma surpresa que muitos psicopatas se tornam policiais, advogados e cirurgiões. No entanto, o número um de vocação escolhida por psicopatas era “CEO.”

Isso confirma um estudo de 2010 conduzido por Paul Babiak, que entrevistou 203 executivos em programas de treinamento de gestão através de um questionário com base na lista de verificação de psicopatia influente de Robert Hare. Babiak chegou à conclusão horrível que 1 em 25 dos entrevistados era psicopata completo, quatro vezes maior do que a percentagem de psicopatas nas populações.

Esta é uma notícia aterrorizante para o mundo dos negócios, mas não pelas razões que você imagina. Psicopatas são realmente terríveis líderes e não se dão bem com os outros, subindo a escada corporativa com a força de seu charme em vez de seus méritos. Se eles não podem manipular seus funcionários, vão apenas usar a força bruta e táticas de terror.

5 – Trolls de Internet são psicopatas

trolls internet psicopatas

Em uma pesquisa realizada por psicólogos de diversas universidades canadenses, os usuários da Internet foram questionados com uma série de perguntas como “Quanto tempo você passa online?” E “Você comenta no YouTube?” Eles também foram solicitados a concordar ou discordar com opções como “Eu gosto de trollar pessoas em fóruns ou nas seções de comentários de sites”, “Eu gosto de jogar como vilão em jogos e torturar outros personagens”, os resultados do estudo apontaram para uma conclusão sombria.

Trolls mostram várias características do estranhamente chamado “Dark Tetrad.” O Tetrad escuro é a interseção de quatro traços desagradáveis de personalidade – sadismo, maquiavelismo, narcisismo e psicopatia. As pessoas com esses traços de personalidade desfrutam magoar os outros, são extremamente enganosos e não têm remorso por suas travessuras. Os pesquisadores ainda descobriram uma ligação entre essas características e a quantidade de tempo gasto on-line trollando, criando um ciclo vicioso de psicopatia.

4 – O Psicopata Pró-social

Psicopata Pró-social

O neurocientista James Fallon tem uma bela árvore genealógica. Ele está relacionado com sete supostos assassinos, incluindo a infame Lizzie Borden. Curioso sobre esta história familiar desconfortável, Fallon decidiu recolher PET de cérebros de seus parentes e analisar suas córtices orbitais a parte do cérebro que influencia o comportamento ético e escolhas morais. A maioria de seus parentes resultaram como normal, mas um exame mostrou uma preocupante falta de atividade no córtex orbital – seu próprio.

Positivo que tinha havido um erro, ele correu alguns testes de DNA. Longe de colocar sua mente à vontade, os resultados confirmaram que não só Fallon tem o cérebro de um psicopata, ele teve a composição genética de um psicopata. Os testes revelaram que ele tinha uma variante particular do gene MOA-A. Este gene é também conhecido como o “gene guerreiro” porque é responsável pelo comportamento agressivo.

Fallon chama-se um “psicopata pró-social”, o que significa que ele se comporta dentro das normas aceitas da sociedade. Na verdade, ele ainda faz um monte de bem. Ele doa para instituições de caridade, assume posições de liderança em sua comunidade e gosta de ajudar seus companheiros – mais ou menos.

Como Fallon disse, “Eu tenho um zumbido de olha-que-eu-posso-fazer-para-o-mundo ao contrário de ser um verdadeiro bom rapaz.” Ele admite que é manipulador e extremamente competitivo. Ele não vai mesmo deixar seus netos ganharem em um simples jogo. Ele também tem problemas em empatia com os outros, alegando que ele se sente da mesma forma sobre sua neta como ele se sente sobre pessoas aleatórias nas rua.

Graças aos pais amorosos, Fallon cresceu em um ambiente seguro e estável, cercado por pessoas que se importavam com ele. Fallon pensa que esses anos de formação foram extremamente influente em ajudá-lo a se tornar um cientista, em vez de o próximo Ed Kemper.

3 – Possuem um olfato ruim

olfato ruim psicopatas

Em setembro de 2013, os professores Jason Castro e Chakra Chennubholta decidiram categorizar cada odor conhecido pelo homem. Eles determinaram que os seres humanos poderiam detectar 10 tipos de cheiros, como “frutado”, “química”, “pipoca” e “deteriorado.” Enquanto a maioria das pessoas não têm qualquer dificuldade para saber o aroma “pungente” do queijo azul ou o “amadeirado” cheiro de grama recém-cortada, é uma história diferente quando se trata de psicopatas.

Como mencionado anteriormente, os psicopatas têm níveis mais baixos de funcionamento em seus córtices orbitais. Isso afeta não só a sua capacidade de fazer planos de longo prazo e manter seus impulsos sob controle, mas também a sua capacidade de detectar cheiros. Isto foi confirmado por pesquisadores da Universidade de Macquarie, em Sydney, que trouxe 79 psicopatas não-criminais para um teste de olfato. Os participantes foram convidados a identificar os aromas de 16 “Sticks Sniffin”, que são dispositivos que se parecem com canetas e são perfumadas com vários odores, como café, laranja e couro.

Bem como os cientistas pensaram, os psicopatas tiveram problemas para identificar o que eles foram cheirar. Na verdade, quanto mais elevado os sujeitos marcavam num teste de psicopatia padrão, pior eram para identificar aromas variados. Além de fornecer uma visão fascinante sobre os mistérios do cérebro, esta conclusão pode desempenhar um papel interessante no diagnóstico. Psicopatas são notoriamente astutos e podem facilmente escapar da detecção, dando intencionalmente respostas imprecisas em avaliações psiquiátricas, mas é muito mais difícil de passar em um teste de cheiro.

2 – Psicopatas e presidentes têm muito em comum

Psicopatas e presidentes

Psicólogos da Universidade de Emory decidiram olhar para todos os presidentes dos EUA, de Washington a Bush, e determinar quem foi o mais psicopata. (Obama foi excluído porque ele ainda não tinha terminado o seu segundo mandato.) Usando um livro chamado Personalidade, Caráter e Liderança na Casa Branca, eles analisaram a personalidade de cada presidente. Eles prestaram especial atenção à forma como estes homens manipularam crises, se deram bem com o Congresso, e trabalharam com líderes estrangeiros. Eles também examinaram um lado mais sombrio da DC, como o abuso de poder e casos extraconjugais.

Enquanto nenhum dos presidentes se encaixa perfeitamente no molde de um psicopata, muitos poucos exibiram uma característica proeminente psicopata chamada Dominância Destemida (DF), especialmente quando comparada com a população em geral. Dominância Destemida é a falta de medo e falta de vontade de “arregar” de uma situação perigosa. Também inclui a capacidade de encantar as pessoas, uma ferramenta muito importante para um político.

Ao fim do estudo, os cientistas determinaram que o presidente com a maior pontuação de Dominância Destemida foi Teddy Roosevelt. O homem que andava suavemente, mas carregava uma vara grande tinha um desrespeito psicopata pelo perigo. Completando os três primeiros foram John F. Kennedy e Franklin D. Roosevelt, enquanto os 10 incluídos Ronald Reagan, Bill Clinton e George W. Bush. (Os pesquisadores observaram que o primeiro-ministro Winston Churchill também marcou alta de Dominância Destemida.)

Pode ser alarmante pensar que os presidentes têm nada em comum com os psicopatas, mas Dominância Destemida pode ser uma característica positiva em um líder. Presidentes que possuíam DF sentiram menos ansiedade, mantinham a cabeça em situações aquecidas e mantiveram-se confiantes em tempos de angústia. Como o pesquisador da Universidade de Emory Scot Lilienfeld coloca, talvez os psicopatas e os heróis sejam “galhos fora do mesmo ramo.”

1 – Psicopatas possuem padrões de fala reconhecíveis

Psicopatas possuem padrões de fala celular

Embora os psicopatas possam parecer inteligentes e espirituosos, pesquisadores da Universidade de Cornell descobriram que psicopatas muitas vezes escorregam quando abrem suas bocas. Liderados por Jeffrey Hancock, os pesquisadores entrevistaram 52 assassinos, 14 dos quais eram psicopatas. Eles pediram aos bandidos para falar sobre seus crimes e usaram um programa de computador para avaliar sua escolha de palavras.

Após analisar as conversas, os pesquisadores observaram algumas idiossincrasias na fala psicopata. Por exemplo, porque os psicopatas foram tão distante de seus crimes, eles descreveram suas ações no passado com muito mais freqüência do que suas contrapartes não-psicopatas. Na esperança de parecerem normais, eles usaram palavras como “uh” e “hum” com mais freqüência do que bandidos médios. A maioria de suas sentenças foram redigidas como declarações de causa-e-efeito e incluíam muitas conjunções subordinativas como “porque” e “para que”. Talvez o mais revelador, enquanto a maioria dos prisioneiros falou sobre as suas famílias e as crenças religiosas, os psicopatas estavam mais preocupados com básicas necessidades como comida, bebida, e dinheiro.

Em 2012, cientistas da Fundação de Privacidade Online e Florida Atlantic University levaram o estudo de Cornell para o mundo dos meios de comunicação social. Ao oferecer um iPad grátis para os participantes, os pesquisadores convenceram 2.927 usuários do Twitter a deixá-los analisar todos os seus tweets e retweets. Os cientistas leram mais de três milhões de mensagens, à procura de provas da Tríade das Trevas, que são as características do Tetrad escuro acima mencionado menos sadismo. Além de analisar os tweets, os pesquisadores pediram aos indivíduos para fazerem um teste de “concordar ou discordar” com declarações como “Vingança precisa ser rápida e desagradável”, “Eu gosto de escolher perdedores”, e “A maioria das pessoas são idiotas.” Este estudo também descobriu que um psicopata pode ser identificado por meio das coisas que ele diz. A próxima vez que você ler um tweet assustador, lembre-se que você pode estar seguindo um Jeffrey Dahmer do século 21.


E aí tem algo escrito errado? Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de matéria para O DesaForado? Envie para nós clicando no botão abaixo e não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Enviar Dica


Fonte: Acredite ou Nao

Deixe uma resposta